29 de fev de 2016

tanto dia tem


tem dia que eu sou baderna,
sou bagunça, sou espetáculo.
tem dia que eu falho.
que tropeço, que falo muito baixo.
tem dia que nem falo, não faço.
tem dia que mal sei o caminho de casa,
que todas minhas verdades são questionadas.

tem dia que sou amar,
sou mar, sou amargo.
tem dia que acordo pra enfiar a cara no barro.

tem dia que sou desordem,
sou desalinho, sou embargo.
tem dia que sou carência,
sou sozinho, sou fraco.

tem dia que só sou sorriso e sucesso.
tem dia que eu erro
e prometo a mim mesmo:
jamais o regresso.

tem dia que eu não cumpro minhas promessas.
tem dia que sou paciência,
tem dia que sou pressa.

tem dia que sou tempestade,
tem dia que sou orvalho,
tem dia que sou relento.

tem dia que sou frustrado.
mas todos os dias
eu tento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário